sexta-feira, 27 de novembro de 2015

TRONO DA GRAÇA


(Hebreus 4: 16)...  Acheguemos-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna.

Muito se fala sobre estar no lugar certo na hora certa para aproveitar oportunidades que surgem. O melhor lugar para se está é junto ao trono da graça do Senhor. Jamais devemos negligenciar a oportunidade de nos achegar junto ao trono da graça.

O escritor aos Hebreus, quando falava do "trono da graça", tinha em mente os objetos mais importantes do Culto do Velho Testamento - a arca e o propiciatório, com dois querubins, velando sobre ela.  Ficava no lugar santíssimo e testificava da presença de Deus no meio do Seu povo. Era para Deus que deviam dirigir o seu olhar e formular seus pedidos de ajuda. Deus nunca falha. Porem, a morte de Jesus na cruz fala-nos, hoje e agora, do favor de Deus a favor de todos aqueles que creem. Jesus é a realidade do trono da graça de Deus, de onde dimana a graça salvadora, ajuda perene constante, consolação, proteção e bálsamo perenes e inesgotáveis, para todos os que a Ele se chegam. Chegai-vos... Chegai-vos ao Bom Salvador e abeberai-vos e saciai-vos da Sua multiforme graça.

O caminho ao trono da graça foi aberto. (Mat 27: 50-51)... E Jesus, clamando outra vez com grande voz, entregou o espírito. Eis que o véu do santuário se rasgou em duas partes de alto a baixo; tremeu a terra, fenderam-se as rochas. O véu diante da entrada do Santo dos Santos no templo em Israel impedia as pessoas de ter acesso ao trono de Deus através do judaísmo fundamentado nas leis de Moisés.  No dia da morte de Jesus, algo aconteceu no templo. Esse véu que separava o lugar do trono de Deus foi rasgado de cima a baixo. Que alegria saber que hoje, todos nós, filhos de Deus, que fomos lavados e remidos pelo sangue derramado na cruz, temos livre acesso ao Pai. Muitos não aproveitam este fato histórico do livre acesso ao trono da graça. Dentre os textos bíblicos que falam do véu do templo... Nisso, o véu do Santuário se rasgou em duas partes, de cima a baixo.

O véu no Santuário separava o lugar mais santo do templo o átrio onde os sacerdotes serviam a Deus. Nesse preciso lugar do templo, somente uma vez por ano, um dos sacerdotes entrava e somente este sacerdote, tinha acesso á presença de Deus. O homem estava separado de Deus, desde a queda de Adão, da expulsão do Paraíso na ocasião das origens Entretanto essa separação foi anulada com a morte de Cristo e sua ressurreição dos mortos. Este acontecimento estabeleceu novamente uma a ponte, e todo o Homem novamente tiveram acesso a Deus Pai. Com a morte de Jesus, essa separação desapareceu. Assim que muitos estudiosos da Bíblia vêem neste véu o símbolo da separação. A morte de Cristo rasgou o véu, a separação. O homem tem vida nova em Cristo Jesus. O texto ainda trás o detalhe que o véu foi rasgado de cima para baixo, para mostrar que tal ação partiu dos céus, de Deus e não de algum homem. Esse fato mostra que não vem do homem a capacidade de ser salvo, mas de Deus, através de Cristo que possibilitou este rasgo no véu, que estabeleceu a ponte, abriu um caminho que nos permite ir a Deus. Por isso rasgado de cima para baixo: do céu para a Terra, de Deus, em direção ao Homem.

Acheguemos-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna. Muitos querem o socorro de Deus, mas estão longe de sua presença, estão longe da sala do trono. A orientação desta palavra é que devemos nos achegar com fé e com coragem na presença de Deus a fim de receber o socorro em ocasião oportuna. O socorro divino é um benefício para aqueles que frequentam sua sala, o socorro é para os que amam a sua presença. (Pv 8:17). A porta da Graça ainda está aberta. Graça é o dom gratuito de Deus ao homem num encontro transformante em que a criatura humana é restaurada, e o favor de Deus é estabelecido. Através da graça, Deus confere ao homem o privilégio de ser filho de Deus e não criatura, pois são duas  coisas bem distintas. Segundo o Evangelho de (João 1: 12,13)... Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no seu nome; os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.  Esta  passagem  diferencia aqueles que se tornaram filhos de Deus daqueles que ainda não se tornaram filhos de Deus! Perdida a amizade de Deus pelo pecado, a sua recuperação é feita pelo arrependimento genuíno dos pecados e aceitação do sacrifício de Jesus. Ninguém é salvo sem receber a graça de Deus. A salvação é pela graça, o que significa que é gratuita, e é algo que não podemos alcançar pelos nossos próprios esforços. Pois é um favor imerecido. Porquanto, pela graça sois salvos,  por meio  da fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus. A definição de Graça oriunda do termo em latim gratia, significa: benevolência, mercê, estima ou um favor que se dispensa ou recebe. Haja vista, que pra se receber a graça de Deus  você não  precisa sacrificar, dar dinheiro, ou qualquer outro meio que não seja a Cristo.

Compareça ainda hoje ao Trono da Graça. Amém.
  


Pastor João Marcos Ferreira. 26/11/2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário